Revisando o colesterol

colesterol

A revelação está surpreendendo médicos e cientistas. Novo estudo aponta que pessoas com altos níveis do colesterol “bom” têm excessiva mortalidade. O que derruba tudo que se pensava consolidado sobre o assunto.

Leia mais:

Chama acesa – A inspiração dos competidores que não se rendem nunca
Elixir da juventude – Pílula que pode parar o envelhecimento do cérebro

Há muitos anos nem se discute.

Quanto mais colesterol “bom” as pessoas tiverem em seu sangue, mais saudáveis são.

Mas chegou a hora de repensar este conceito.

Segundo um novo estudo, o colesterol HDL pode não ser tão bom quanto pensamos.

A pesquisa, feita pela Universidade de Copenhage (Dinamarca) tem causado polêmica.

Nela foi revelado quem tem níveis elevados de HDL apresenta maior mortalidade.

Isso quando comparado a pessoas com níveis normais da lipoproteína de alta densidade.

Para chegar a esta conclusão, foram analisados dados de 116 mil pessoas do sistema dinamarquês de saúde pública.

As informações foram cruzadas com os falecimentos anotados pelo registro civil do país.

Todos foram acompanhados ao longo de seis anos.

Neste período, foram registrados 10.500 óbitos.

Para homens com níveis extremamente elevados de HDL, a taxa de mortalidade foi 106% maior.

Entre as mulheres nas mesmas condições, a taxa de mortalidade foi 68% maior.

O estudo também encontrou mortalidade excessiva entre pessoas com níveis muito baixos de HDL.

Então, qual o nível seguro?

Quem apresentou níveis médios de HDL teve a menor mortalidade.

Segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), o nível desejável de HDL é acima de 60 mg/DL – veja aqui.

Ou seja, não há limites máximos, apenas mínimos.

“Médicos como eu mesmo já felicitaram pacientes com um nível muito elevado de HDL no sangue”.

A explicação é de um dos autores, Dr. Børge Nordestgaard.

“Mas já não devemos fazê-lo”.

O estudo identificou a relação, mas não consegue explicar o fenômeno.

Ou melhor, deixa a tarefa para futuros estudos.

Entretanto, seu valor está em nos fazer tirar o foco do HDL como um importante indicador de saúde.

A hipótese é que estas lipoproteínas são as menores encontradas no sangue.

E que talvez seja o caso de examinar as maiores.

Neste caso, mais prudente seria manter sob controle os níveis de triglicerídeos e LDL, o colesterol “ruim”.

“Provavelmente são melhores indicadores de saúde”.

De acordo com a SBC, devemos manter o LDL abaixo de 100 miligramas por decilitro (mg/dl) de sangue.

O estudo foi publicado no periódico científico European Heart Journal.

Ficou em dúvida?

Você tem todo o direito, afinal tudo é muito recente.

Para esclarecer as dúvidas sobre seu caso específico, sugiro que consulte seu médico.

Tags: , , , , ,