Pior sem ele

pior-sem-ele

A moda é evitar o glúten. Mas há um problema. Segundo estudo da Universidade de Harvard, quem faz isso por modismo arrisca a desenvolver diabetes tipo 2 E as chances não são poucas.

Leia mais:

Bolinho de chuva funcional – Você cresceu, a receita evoluiu
Panqueca sem farinha – A banana de um jeito que você nunca viu

O assunto não sai da mídia.

A tendência de eliminar o consumo de glúten tem convencido cada vez mais pessoas.

O glúten é uma proteína encontrada no trigo, centeio e cevada.

Por isso, está presente principalmente nos pães, macarrão e bolos.

A cerveja também entra na lista.

Mas, se você não é celíaca e evita a substância por outros motivos, talvez deva repensar sua escolha.

O alerta vem de um estudo feito pela Universidade de Harvard (Estados Unidos).

Segundo os pesquisadores, dietas sem glúten aumentam as chances de desenvolver diabetes do tipo 2.

Tipo, muito.

O risco aumenta em 13% quando o consumo diário da substância é menor que quatro gramas.

Para chegar a esta conclusão, foram acompanharam os hábitos alimentares de 200 mil pessoas.

Este acompanhamento foi feito ao longo de 30 anos.

Como resultado, foi constatado que a maioria dos participantes ingeria menos de 12 gramas de glúten/dia.

Aqueles que comeram uma maior quantidade da proteína tiveram menor risco de desenvolver diabetes do tipo 2.

“Alimentos sem glúten têm frequentemente menos fibra diabética e outros micronutrientes, tornando-os menos nutritivos”.

A declaração é do autor do estudo, Dr. Geng Zong.

“Por isso, pessoas que não são celíacas devem reconsiderar a restrição para prevenir futuramente doenças crônicas”.

Tags: , , , ,