Smartphones e donos nem tanto

celular-na-academia

O exagero no uso dos smartphones está cobrando seu preço. Estudo revela que, enquanto buscamos espaço na memória dos gadgets, eles estão esmaecendo nossa própria capacidade de raciocínio.

Leia mais:

O amor nos tempos do wi-fi – Em qualquer meio, o importante é praticar
Você, robô – Estamos nos comportando como iDiots

O nome do aparelho é smartphone.

Em inglês isso significa, literalmente, “telefone inteligente”.

Quanta ironia.

Segundo um novo estudo, o uso desenfreado destes gadgets está enfraquecendo o nosso raciocínio.

A pesquisa foi feita pela Universidade Dartmouth (Inglaterra).

Nela, voluntários tiveram que ler uma história do autor David Sedaris.

Alguns usaram o texto em um computador enquanto outros o leram direto no papel.

Como resultado, quem leu a história no papel apresentou desempenho significativamente melhor em um teste.

Foram 66% de respostas corretas.

Já quem leu o texto na tela acertou 48% do teste.

Aparentemente, o cérebro humano têm um efeito “use ou perca”.

O que significa que nossa capacidade de armazenar dados corre o risco de ser diminuída.

Isso acontece porque, cada vez menos, precisamos acessar os neurônios.

Afinal, para buscar um telefone ou lembrar de um fato em sua biografia basta consultar o aparelho.

Este estudo traz uma visão negativa sobre o hábito que nos consome.

Ainda bem que há quem enxergue a questão por outro ponto de vista.

Para ver como o uso dos gadgets pode melhorar a memória – clique aqui.

Tags: , , , , ,