Quem tem medo da ceia?

Quem-tem-medo-da-ceia

A fartura da mesa natalina (ou a sua consequência) assusta muita gente. Mas “pânico” e medidas exageradas após a ceia são piores do que simplesmente servir-se de rabanadas a mais.

Leia mais:

O custo da ceia – O que acontece quando comemos em excesso
Malhando a ceia – Veja quanto esforço é preciso para queimar o exagero

Por tradição, todos se esforçam em encher a mesa do fim de ano.

A esperança é que a fartura deste momento contagie os dias que virão.

Mas muitos veem a ocasião com culpa, ansiedade e medo das consequências.

Entretanto, nutricionistas consideram que o temor é inútil.

E provoca estresse extra em uma época já tumultuada.

Afinal, é quase impossível ganhar muito peso por causa de uma única refeição.

E quem se engaja em dietas detox nos dias seguintes pode se expor a riscos.

“É por isso que é um feriado”.

A declaração é do Dr. Aaron Carroll, da Escola de Medicina da Universidade de Indiana (Estados Unidos).

“Este é um dia para relaxar e se divertir; e a comida é algo para apreciar, para não preocupar”.

Para o nutricionista, temos 364 outros dias no ano para seguir um padrão alimentar equilibrado.

O pânico sobre o alimento pode criar uma mentalidade de “tudo ou nada”.

E quem opta pela segunda opção pode “chutar o balde” até 1º de janeiro.

O arrependimento e os prejuízos serão, então, mais difíceis de reverter.

O alerta vem da Dra. Liz Weinandy, nutricionista da Universidade Estadual de Ohio.

Os profissionais foram entrevistados pelo jornal Daily Mail.

Então, o que fazer?

Divirta-se e, se a rabanada estiver mesmo boa, coma outra.

No dia seguinte, retome a rotina alimentar e deixe o metabolismo fazer o seu trabalho.

Tags: , ,