O barato da corrida

o-barato-da-corrida

Há quem corra para emagrecer, quem utilize o exercício para conectar-se às pessoas e quem o faça pelo “barato” que proporciona. Isso mesmo. Estudo revela que a prática esportiva ativa as mesmas regiões no cérebro que a maconha.

Leia mais:

Minha primeira corrida de rua – Guia fácil para você estrear com brilho
20 minutos para mudar a sua vida – Veja o LIT (Lucilia Intensive Training)

Se você não sabia, agora pode entender porque aquelas pessoas estão sempre correndo no parque ou na orla, faça sol ou chuva.

O “barato” da corrida descreve um estado de euforia alcançado depois da prática do exercício, o que geralmente está combinado a redução da ansiedade e uma maior tolerância à dor.

Agora, um novo estudo descobriu que este sentimento proporciona efeitos similares a fumar maconha, ao ativar os receptores de canabinóides no cérebro.

A pesquisa, feita em parceria entre as universidades alemãs de Hamburgo e Heidelberg, observou o efeito em cobaias.

Estudos anteriores especulavam que a origem do “barato” era causada pelo aumento dos níveis de beta-endorfinas, que proporcionam os mesmos efeitos da morfina.

Mas, na nova descoberta, os cientistas detalham como estas endorfinas são “grandes” demais para passar pelos vasos sanguíneos no cérebro.

Ao invés disso, afirmam que o “barato” da corrida está conectado ao receptores de canabinóides, envolvidos em uma série de processos psicológicos, que incluem apetite, sensação de dor, estado de espírito e memória.

A corrida aumenta os níveis de beta-endorfinas (um opiáceo) e anandamida (um endocanabinóide).

Os resultados foram alcançados através de testes em que cobaias foram condicionadas a correr em uma esteira, e depois foram separadas em dois grupos.

O primeiro grupo permaneceu inativo, enquanto que o segundo correu na esteira por cinco horas.

Em seguida, os dois grupos foram analisados, com foco nos níveis de ansiedade, comportamento no escuro e tolerância à dor.

O grupo que efetivamente correu mostrou sintomas do “barato”, ao apresentar-se menos ansioso e mais capaz de tolerar a dor.

O mesmo teste foi refeito mas, nesta segunda rodada, as cobaias receberam endocanabinóides e endorfinas antagonistas, que bloqueiam os efeitos a estas substâncias normalmente associados.

Como resultado, as cobaias não mostraram sinais de terem experimentado o “barato”.

Isso revela que, pela primeira vez, o conhecimento acerca dos receptores de canabinóides é um aspecto crucial para entender a euforia proporcionada pela prática esportiva.

Se você ficou assustada pela associação entre a corrida e o efeito das drogas, pode processar esta informação de outra forma.

Basta entender que emagrecer através do exercício vicia, e a cada vez você estará tentada a buscar mais da sensação que ele oferta.

Ou seja, quanto mais emagrece de modo saudável, mais você quer emagrecer.

Mas não pense que a primeira volta no quarteirão já trará o efeito – e, com ele, os resultados.

Há que perseverar, começar devagar e insistir.

Eu afirmo que o investimento vale a pena.

Tags: , , , , ,