Economia que cobra a saúde

economia-que-cobra-a-saude

Você vive com dores de cabeça? Novo estudo revela que a culpa pode ser das novas lâmpadas de LED, que piscam com mais intensidade e força que as lâmpadas tradicionais.

Leia mais:

O amor nos tempos do wi-fi – Em qualquer meio, o importante é praticar
Você, robô – Estamos nos comportando como iDiots

As lâmpadas de LED são uma boa opção para reduzir a conta de luz.

Mas seu maior benefício é a vida útil.

Enquanto a luz incandescente dura mil horas, o LED chega a 50 mil horas.

Outra comparação é o modo como funcionam.

Como a eletricidade é uma corrente alternada, as lâmpadas incandescentes pulsam.

O fenômeno é chamado cintilação.

Isso acontece a uma velocidade muito rápida, sem que seja percebido.

Mas as lâmpadas LED não cintilam.

Elas efetivamente ligam e desligam completamente.

Segundo um novo estudo, é exatamente esta característica que pode provocar dor de cabeça.

A pesquisa foi feita pela Universidade de Essex (Inglaterra).

Aparentemente, as lâmpadas LED podem induzir tonturas e cefaleia apenas 20 minutos depois de acesas.

Por apagarem centenas de vezes por segundo, elas interferem no controle do movimento dos olhos.

Exatamente, a interferência é nos movimentos sacádicos.

Estes movimentos ligam todas as fixações oculares entre si, possibilitando a leitura e a escrita, por exemplo.

Isso força o cérebro a trabalhar mais, multiplicando por quatro as chances de uma dor de cabeça.

E também pode “produzir anomalias perturbadoras de percepção, como ver imagens múltiplas toda vez que você move seus olhos rapidamente”.

A explicação é de um dos autores, professor Arnold Wilkins.

O risco de dores de cabeça pode ser particularmente maior durante a leitura, quando os olhos se movem para “escanear” as linhas uma a uma.

Será que este estudo explica a origem de suas dores?

Para evitar problemas, verifique que tipo de lâmpada tem na cabeceira da cama.

E também na mesa de trabalho.

Tags: , ,