Analgésico sabota academia?

analgesico

As duas coisas não combinam. E uma atrapalha a outra de um modo que não sabíamos. Estudo revela que ibuprofeno, ingrediente dos analgésicos mais comuns, pode sabotar tudo que você faz na academia.

Leia mais:

20 minutos para mudar a sua vida – Veja o LIT (Lucilia Intensive Training)
Pouco exercício já é o bastante – Nenhuma desculpa cola mais

Ou um, ou outro.

Os remédios contra a dor mais populares usam os analgésicos paracetamol ou ibuprofeno na fórmula.

A escolha se dá pela preferência do consumidor.

Mas, se você estiver frequentando a academia, um deles deve ficar de fora.

O alerta vem de um estudo feito pelo Instituto Karolinska (Suécia).

Aparentemente, tomar medicamentos anti-inflamatórios regularmente pode inibir o crescimento muscular.

Entre os remédios estão aqueles que usam ibuprofeno.

Para chegar a esta conclusão, foi realizado um experimento com voluntários.

Os participantes, com idades entre 18 e 35 anos, foram divididos em dois grupos.

Todos os dias durante oito semanas, o primeiro tomou uma dose relativamente alta de ibuprofeno (1.200 mg).

O segundo grupo tomou uma dose mais baixa de aspirina (75 mg) pelo mesmo período e frequência.

Paralelamente, todos participaram de exercícios de treinamento de peso de duas a três vezes por semana.

Após dois meses, foram medidos crescimento, força e marcadores anti-inflamatórios nos músculos.

Como resultado, quem tomou aspirina de baixa dose teve aumento muscular duas vezes maior.

Ainda, a força muscular foi prejudicada por altas doses de ibuprofeno, mas não tanto quanto o crescimento.

“Os resultados são extremamente interessantes”.

A explicação é de um dos autores, Dr. Tommy Lundberg.

“Afinal, o uso de drogas anti-inflamatórias é generalizado tanto entre atletas quanto indivíduos ativos”.

Os cientistas alertam que escolheram estudar o efeito do ibuprofeno.

Mas acreditam que altas doses de todos os tipos de anti-inflamatórios não esteróides terão efeitos semelhantes.

A depender de seus objetivos na academia ou em provas esportivas, procure alternativas à medicação tradicional.

Para esclarecer suas dúvidas, sugiro que consulte seu médico.

Tags: , ,