Cardápio global

Cardápio global

Imagine irmãos em volta da mesa, em uma situação onde uns comem muito e aos demais só restam sobras. Se tanto. De acordo com relatório divulgado, este é o retrato do mundo. Contrariando o astronauta, a Terra não é azul. E sim roxa – de fome.

Fartura de opções de alimentos nutritivos e enriquecidos, vendidos a preços estáveis e com superior padrão de qualidade. Estes foram os requisitos para a organização do ranking dos países onde melhor se come no mundo, feito pela organização independente Oxfam. Os números comprovam o que, de uma forma ou de outra, já sabemos. Os países europeus dominam as 20 primeiras posições (apesar de a Austrália estar em 8º). Mas, sem nenhuma surpresa, a parte de baixo da tabela é cativa dos países africanos, com a companhia dos asiáticos Laos, Bangladesh, Paquistão e Índia.

A Holanda foi o país que conquistou a primeira colocação. Em segundo lugar empataram França e Suíça.

Terra do consumo e do exagero, aos Estados Unidos coube assegurar a 21ª colocação. O Brasil, terra do desperdício e má-gestão pública, aparece em 25º.

O estudo, chamado Good Enough To Eat (“bom demais para comer”, em português), comparou 125 nações de onde foi possível obter informações confiáveis. O resultado é o panorama da alimentação em nosso planeta – ou melhor dizendo, um retrato da desigualdade global.

Desigualdade que se vê escancarada, quando olhamos o ranking de perto. Por exemplo, em países pobres como o Chade e o Irã, a comida chega a custar duas vezes e meia o valor de bens de consumo, tornando-os os lugares mais caros do mundo para se alimentar.

Em comparação, os Estados Unidos são o país onde a comida é a mais barata.

A escassez é a razão pela qual Camboja e Burundi apresentam os menores índices de obesidade e diabetes do mundo. Do outro lado estão países em desenvolvimento, onde EUA, México, Jordânia, Kwait e Arábia Saudita dominam o ranking das doenças relacionadas à má alimentação.

cardápio global

“Os melhores e piores lugares para se comer – Oxfam organizou ranking com 125 países com índices desde desnutrição ao preço dos alimentos. Aqui está um retrato. Como seu país se saiu nessa?”

Veja a seguir a posição do Brasil em cada cenário.

Com a boca no mundo

Na colocação geral, o Brasil encontra-se na 25ª posição

Com a boca no mundo

Em relação à oferta dos alimentos

Com a boca no mundo

Ficamos mais longe quando o assunto é o acesso

Com a boca no mundo

A posição do Brasil quanto à qualidade da comida disponível

Com a boca no mundo

Uma posição desconfortável: número relacionado à obesidade e diabetes

Tags: , , , , ,