Sem você eu não vivo

sem-voce-eu-nao-vivo

Segundo um novo estudo, estar em um matrimônio ajuda a sobreviver a cirurgias. E os solteiros são mais susceptíveis de risco fatal no intervalo de dois anos do procedimento.

Leia mais:

App cura dor nas costas – E se a tecnologia ajudasse, só para variar?
O perigo do “junk sleep” – Na hora de desligar, desligue

Estar casada pode ser a chave para uma vida feliz.

E agora os pesquisadores descobriram que o compromisso tem outro benefício.

Principalmente para os homens.

Segundo novo estudo, eles são mais propensos a sobreviver à cirurgia.

A pesquisa foi feita pela Universidade Duke (Estados Unidos).

Nela, foram acompanhados mais de 11.500 adultos submetidos a cirurgia não cardíaca.

Em geral, 7,6% morreram dentro de dois anos após a operação.

Os dados revelaram que homens solteiros têm 53% a mais de risco de morte neste período.

E os divorciados têm um risco 76% maior, em comparação a casados ou viúvos.

No entanto, o estado civil não revelou efeito pós-cirúrgico entre as mulheres.

Não ficou claro como o casamento protege os homens, mas não as mulheres.

Pesquisas anteriores mostraram que as mulheres têm redes sociais maiores.

Já os homens tendem a confiar unicamente em seu cônjuge.

Viúvos tendem a manter fortes conexões com suas famílias.

Isso explica por que têm as mesmas taxas de sobrevivência de homens casados.

Homens divorciados, por outro lado, são mais propensos a perder o contato com a família.

O estudo foi publicado no periódico científico Journal of Surgical Research.

Tags: , , , ,