Revendo os limites no prato

vegetais

Se existe uma recomendação, a ideia é segui-la. Mas, quando se trata da alimentação, a maioria se torna indulgente. Resultado? Uma tragédia nutricional protagonizada pelas novas gerações.

Leia mais:

O café da manhã das crianças – A nutrição infantil carimba o passaporte
Brincadeira séria demais – Crianças que reconhecem fast food ganham mais peso

A recomendação é da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Mas a meta de cinco porções de frutas e vegetais ao dia parece inalcançável.

É o que indica um estudo da University de St. Andrews (Inglaterra).

Naquele país, menos de metade dos jovens come frutas ou legumes todos os dias.

“À medida em que envelhecem, os jovens comem menos destes alimentos”.

A explicação é de uma das autoras, Dra. Jo Inchley.

“Com mais independência e autonomia em relação ao que comem, revelam-se menos propensos a fazer escolhas saudáveis”.

O estudo examinou dados sobre a saúde de jovens de todo o mundo, entre 2002 a 2014.

E por aqui?

Não estamos nada melhor.

Apenas 24,1% dos brasileiros ingerem a quantidade de frutas e hortaliças recomendada – dados Vigitel.

Tudo isso preocupa, quando pensamos adiante.

Junto com a nutrição deficiente, há ainda a inatividade das novas gerações.

Com isso, estamos diante de um cenário sem volta.

Será?

Não vamos esmorecer na luta em conter o aumento do peso da população.

Agir entre os jovens é fundamental para conter o problema na fase adulta.

Se você tem filhos, a ciência pode ajudar a fazê-los comer mais vegetais.

É a lógica do brócolis – saiba mais aqui.

Tags: , , , ,