Reaja à chefia tóxica

reagindo-a-chefia-toxica

Depois das férias, a rotina. Que pode ser ótima, ou muito pelo contrário. Segundo novo estudo, uma chefia de líderes com traços narcisistas pode arruinar sua carreira. É hora de mudar esta história.

Leia mais:

É hora de acordar – Produtividade não combina com sono
Tempo perdido – Comer no escritório torna você menos produtiva

O envolvimento profissional é um ótimo fator para impulsionar a carreira.

Ou exatamente o contrário.

Segundo um novo estudo, o relacionamento com o chefe tem o poder de mudar a personalidade.

E não é a dele – ou dela.

A pesquisa foi feita pela Universidade de Manchester (Inglaterra).

Já sabemos que pessoas que trabalham para chefes com traços psicopatas e narcisistas sentem-se mais deprimidas.

A causa é o comportamento de seus patrões.

Mas o novo trabalho sugere que essas pessoas também são mais propensas a comportamentos indesejáveis no trabalho.

Neste caso, os patrões assumem papel de “bullies”.

“Bullies” são as pessoas que praticam o bullying.

O termo já é bem conhecido.

São as agressões físicas ou psicológicas, que causam dor e angústia, executadas dentro de uma relação desigual de poder.

Para chegar a esta conclusão, os pesquisadores realizaram um teste.

Nele, 1.200 participantes tiveram que responder sobre sua relação com o chefe e próprio bem-estar.

Como resultado, aqueles que trabalham para líderes com essas características tinham menor satisfação profissional.

E pontuaram mais alto em uma escala clínica de depressão.

Não só o bem-estar dos funcionários foi afetado.

Mas aumentaram também incidentes causados por mau comportamento.

As pessoas que demonstram traços de psicopatia e narcisismo têm um forte desejo de poder e, muitas vezes, falta de empatia.

Em uma posição de chefia, essa combinação torna-se tóxica.

E pode resultar em situações onde esses indivíduos se aproveitem dos outros.

Muitas vezes tomando crédito pelo seu trabalho.

Ou sendo excessivamente críticos.

E geralmente comportando-se agressivamente

Em outras palavras, autênticos “bullies”.

O comportamento é o mesmo observado entre prisioneiros.

“Psicopatas bem sucedidos” tornaram-se cada vez mais comuns na última década.

Com sua falta de empatia ou remorso, têm um impacto tóxico sobre os todos ao redor.

Você olhou à sua volta e encontrou a mesma situação aqui descrita?

Talvez seja hora de pensar em um novo rumo para a carreira.

É certo que a crise está restringindo as vagas.

Mas será sempre melhor começar em outra oportunidade que seguir em uma situação que não a faça feliz.

Tags: , , , ,