Por que você foge da academia

fuga-da-academia

Começar é mais difícil que se imaginava. Segundo um novo estudo, as pessoas que se sentem julgadas pelo peso ou aparência não passam sequer na porta da academia.

Leia mais:

20 minutos para mudar a sua vida – Veja o LIT (Lucilia Intensive Training)
Pouco exercício já é o bastante – Nenhuma desculpa cola mais

Frequentar a academia é uma eterna luta contra a preguiça.

Mas existe outro fator, ainda mais poderoso.

Quem se sente julgado pelo peso ou aparência tem 60% mais chances de permanecer sedentário.

E 30% menos probabilidade de malhar pelo menos uma vez por semana.

As estimativas vêm de um estudo do University College London (Inglaterra).

E consolidam exemplo de como os sentimentos de discriminação afetam a saúde pública.

Para chegar a esta conclusão, foram analisadas informações de mais de 5.400 homens e mulheres.

Todos tinham 50 anos de idade ou mais.

Os pesquisadores focaram na prática de exercícios e sentimentos de discriminação.

Como resultado, quanto mais pesavam, mais provável era que se sentissem mal com os julgamentos sobre sua forma.

Entre as pessoas no estudo que relataram sentirem-se discriminadas, 10% não fizeram atividade física regular.

E 18% fizeram atividade física leve, ao menos uma vez por semana.

As taxas de inatividade e atividade leve foram mais baixas entre quem não relatou discriminação (8% e 14%, respectivamente).

“Às pessoas que sofreram discriminação relacionada ao peso falta confiança necessária para se exercitar em público”.

A declaração é da autora do estudo, Dra. Sarah Jackson.

“Elas passam a acreditar nos estereótipos negativos contra si mesmas, e deixam de tentar conquistar uma boa forma”.

Por este motivo, as intervenções que visem diminuir a discriminação podem ter maior impacto que as que incentivam a perder peso.

O estudo foi publicado no periódico científico BMJ Open.

Tags: , , , ,