Meu pulo do gato

Meu pulo do gato

Não havia falado no meu novo site sobre as grandes mudanças que decidi para minha vida. O chamado pulo do gato, onde um dia você tem que tomar a decisão radical de que é preciso mudar para sobreviver. 

Eu dizia que era feliz. Mas uma pessoa que, por excesso de peso, não podia se sentar no chão para brincar com seus filhos, não poderia ser feliz de verdade. Aos meus 38 anos, eu tinha 120 kg e uma enorme frustação por não poder corresponder às expectativas de uma família tradicional onde ser mulher significava ser uma dona de casa prendada, sem espaço para viver meus próprios sonhos. Isso piorava tudo. Ser a gordinha da família era motivo de bullying generalizado, e em vez de receber suporte para superar minhas dificuldades, o que eu ganhava eram críticas. Isso não ajuda ninguém, mas pode ser um estímulo para enxergar o que realmente queremos para nossas vidas.

Entre tantas frustrações, o corpo era o maior deles, literalmente, e percebi que conseguir ter o controle sobre ele era a grande oportunidade de abrir as portas para grandes mudanças em minha vida. Autoestima é uma válvula de escape impressionante, ao reconquistá-la, me senti mais forte para enfrentar qualquer obstáculo. E foi exatamente isso que aconteceu.

Médicos, nutricionistas, SPAs…foram muitos até eu perceber que emagrecer não era somente uma questão de saúde, mas também de atitude. Foi nesse momento que o pulo do gato aconteceu. Me olhei no espelho e percebi que poderia ser muito mais do que estava refletido ali, e para isso precisei de muita determinação. É ela que me move até hoje.

Tentei vários regimes mas nada parecia funcionar completamente. Baseado nisso, fui listando tudo o que funcionava em cada um deles, combinando resultados positivos e criei meu próprio método. Um processo que é a mistura de mudanças alimentares e exercícios físicos. Descobri que tudo era mais fácil do que eu pensava.

Reeducação Alimentar

Não acredito em dietas “milagrosas”, e sim, em reeducação alimentar. Ter consciência do que se come e para que se come. Uma vez que se aprende isso o problema se resolve. De nada vale começar algo que você sabe que não levará adiante. Buscar receitas e informações sobre alimentação e vida saudável é fundamental para que tudo não caia na rotina. Afinal, emagrecer é relativamente fácil. O difícil é manter.

Depois de dois anos e meio eu estava com 60 quilos a menos, cheia de energia e alegria, querendo viver de forma plena. Foi surpreendente descobrir como o peso me limitava. Foi uma sensação de liberdade!

Não é fácil dar o primeiro passo. Mas se for feito com reflexão, determinação e informação, certamente o caminho de superação será mais tranquilo, realista e estimulante.

Meu desafio é estimular vocês a darem o pulo do gato. Mas lembrem-se: a decisão de mudar é de cada um de nós, uma questão de sobrevivência! Vocês sabiam que só 2% da população mundial se mantém magra? E você, o que tem feito para perder ou manter o peso? Me conte aqui!

Tags:,,,,,,,

Share on Google+