Malhação cirúrgica

Vai operar? Já para a academia: exercício antes da cirurgia protege músculos e nervos, prevenindo danos causados pela restauração do fluxo sanguíneo após o procedimento.

Leia mais:

Dia de cirurgia – Cheque o calendário para marcar um procedimento
Academia sem idade – Adultos mais velhos aumentam longevidade ao malhar

Grandes cirurgias requerem a suspensão momentânea do fluxo de sangue em partes do corpo.

Isso provoca um efeito colateral: a falta de fornecimento sanguíneo afeta tecidos, nervos e órgãos.

Na verdade, o risco maior vem quando o fluxo é restabelecido, a lesão de isquemia-reperfusão.

Um complicador é quando ocorre em situações de emergência.

Pois o exercício pode nos proteger dos danos causados pela restauração do fluxo sanguíneo após lesão ou cirurgia.

É o que afirma um estudo da Universidade de Virgínia (Estados Unidos).

Nele, foi feito um experimento com cobaias.

Metade dos animais entrou em uma rotina de treinos, e os outros permaneceram sedentários.

Em seguida, todos passaram por cirurgia simples e sua recuperação foi monitorada.

Como resultado, os animais “malhados” tiveram uma recuperação muito melhor.

Houve menos danos muscular e nos nervos.

E menor redução da função contrátil dos músculos.

“Sabemos que o exercício tornou músculos e nervos mais fortes”.

A explicação é de um dos autores do estudo, Dr. Uva Zhen Yan.

“A proteção é muito clara”.

O estudo foi publicado no Journal of Applied Physiology.

Não sabemos o volume de exercícios equivalente para humanos se beneficiarem desta proteção.

Mas, certamente, a descoberta motiva a não perder nem mais um dia.

Se frequentar a academia não lhe apetece, não há problema.

Como vimos, caminhadas podem cumprir a cota de atividade moderada.

E a ciência tem uma dica que vai motivar você – leia mais aqui.

Dr. Zhen Yan, um dos maiores especialistas em benefícios celulares do exercício

Tags: , , , , ,