Hora de pegar pesado

hora-de-pegar-pesado

Adoramos os exercícios aeróbicos. Por isso, poucas de nós encaram a musculação. Aí está o problema. Novo estudo revela como exercícios de força são os que mais garantem saúde às mulheres.

Leia mais:

20 minutos para mudar a sua vida – Veja o LIT (Lucilia Intensive Training)
Pouco exercício já é o bastante – Nenhuma desculpa cola mais

Quando pensamos em exercícios físicos, a imagem que vem à mente é a das modalidades aeróbicas.

Natação, corrida e aulas de zumba estão nesta categoria.

Por isso, o treinamento de força não é tão popular.

Segundo um novo estudo, apenas 20% das pessoas encaram os exercícios de fortalecimento que trabalham os principais grupos musculares.

E quem mais evita a sala de musculação são as mulheres.

Não deveríamos.

De acordo com pesquisa da Harvard School of Public Health (Estados Unidos), o treinamento de força reduz significativamente o risco de diabetes tipo 2 e doença cardiovascular.

Há muito já sabemos que o treinamento de força torna os músculos maiores.

Ele também protege os ossos, aumentando a sua densidade, uma vantagem importante para o envelhecimento das mulheres.

Mas novas evidências mostram que a musculação também reduz o Índice de Massa Corporal (IMC), o que melhora a forma como o corpo usa a insulina.

Músculos maiores também fazem a glicose circular melhor pelo corpo.

O estudo acompanhou 36 mil mulheres, com idades entre 47 e 98 anos, ao longo de 14 anos.

A cada ano, elas relataram sobre suas atividades físicas, para avaliar a quantidade de levantamento de peso que encararam no período.

Os pesquisadores rastrearam aquelas que tinham doenças cardiovasculares – incluindo eventos como ataque cardíaco e acidente vascular cerebral – e diabetes tipo 2.

Como resultado, as mulheres que relataram praticar treinos de força, em qualquer quantidade, tinham um menor IMC.

E estavam mais propensas a ter padrões alimentares saudáveis.

Em números, as “marombeiras” tinham 20% menos chance de contrair diabetes tipo 2.

E 17% menos risco de sofrer com doenças cardiovasculares.

Isso mesmo após os pesquisadores controlarem variáveis como idade e nível de ingestão de frutas e vegetais.

E quem aliou ao levantamento de pesos algum exercício aeróbico reduziu ainda mais os riscos para os mesmos problemas.

Aquelas que fizeram pelo menos 120 minutos por semana de exercício aeróbico junto com treino de força tiveram 65% menos chance de sofrer com a diabetes tipo 2.

Para quem sempre evitou o ambiente, a descoberta aponta a sala das máquinas como passagem quase que obrigatória.

Entretanto, mais pesquisas são necessárias para determinar a quantidade de malhação necessária para colher os benefícios.

O estudo foi publicado no periódico científico Medicine & Science in Sports & Exercise.

Tags: , , ,