É hora de levantar

sedentarismo

Até a esquina? Esqueça. Estudo revela que estamos andando muito menos que há um década. Descubra quanto esforço você está devendo. E o quão pouco representa recuperar o tempo perdido.

Leia mais:

Receita para um dia melhor – Tudo começa com uma boa noite de sono
A hora extra da balança – Lutar contra o sono é convite para acumular peso

As pessoas estão andando 20% menos do que há 10 anos.

E a causa é a “cultura do delivery”.

A afirmação vem de novo estudo do Instituto Britânico de Estatística.

Na Inglaterra, os adultos fizeram apenas 3,8 viagens a pé a cada semana em 2015

Isso em comparação com as 4.7 viagens registradas em 2005.

E as mulheres relaxaram mais.

Suas viagens a pé diminuíram 13% no período – um pouco mais que os homens.

A análise contrapõe o crescimento dos números do mercado de entregas.

Com a falta de tempo, as pessoas preferem a conveniência da comida entregue diretamente à sua porta.

Em muitos casos, a questão é de segurança.

Com isso, aquela caminhada até o mercado da esquina foi abolida.

Nos novos tempos, assuntos pessoais, compras e passeios a pé foram reduzidos mais do que outras atividades.

Os números da pesquisa seguem assombrando.

Apenas dois quintos dos adultos caminha ao menos uma vez por semana.

Bicicleta é a saída?

Só um em cada oito pedala pelo menos uma vez por semana.

Andamos por menos tempo e por distâncias menores.

A distância média percorrida diminuiu de cerca de seis km por semana a 4,8 km em 2015.

Se não vamos a pé, vamos de carro.

A opção é usada por 62% em todas as viagens feitas.

Ônibus e metrô vêm em seguida.

Ressalte-se que estes números dizem respeito a populações de zonas altamente desenvolvidas.

Neste caso, é razoável pensar que a redução de mobilidade dos brasileiros é outra.

Mas já deu para entender o recado.

A boa notícia é que pouco exercício já é o bastante – leia mais aqui.

Tags: , , ,