Chorando pelo iodo derramado

leite

Dos novos hábitos alimentares buscamos os benefícios. Mas pode acontecer o contrário. Novo estudo aponta que trocar leite por versões vegetais nos priva de iodo. O que pode levar a aumento de peso súbito e cansaço constante.

Leia mais:

Pratos coloridos – Veja como o cérebro interpreta sabores
De olhos bem abertos – Para emagrecer, ponha os sentidos em alerta

Por diversos motivos, muitos têm evitado consumir lactose.

Trata-se do açúcar natural encontrado no leite de origem animal e seus derivados.

Mesmo sem intolerância comprovada, há quem sofra com cólicas abdominais, inchaço abdominal e diarreia.

Os veganos também não consomem nenhum produto lácteo.

E há quem evite este tipo de açúcar, mesmo ele ocorrendo de forma natural nestes alimentos.

Tanta gente incentivou o desenvolvimento e oferta das alternativas vegetais.

Entre estas estão os “leites” de arroz, amêndoas e castanhas.

Entretanto, a tendência pode estar colocando os consumidores desta categoria em risco.

O alerta vem de um estudo feito pela Universidade de Surrey (Inglaterra).

A exclusão dos produtos lácteos pode levar a deficiência de iodo, particularmente entre as mulheres.

O nutriente é essencial na produção de hormônios associados ao controle do peso.

Níveis adequados de iodo durante a gestação desempenham papel importante na formação do QI do bebê.

Bem como o seu desenvolvimento de habilidades de leitura no futuro.

A falta do nutriente leva ao aumento súbito de peso, inchaço do corpo e fadiga.

Apesar desta importância, 70% das mulheres britânicas não consomem a quantidade adequada.

Sua maior fonte é o leite de origem animal, que pode aportar 40% das necessidades diárias.

Este conteúdo concentrado vem do mineral adicionado à alimentação dos animais.

E até dos agentes usados na limpeza dos equipamentos de beneficiamento.

Por isso, a dose varia a depender da época do ano, modo de produção e práticas sanitárias.

Para compensar a deficiência de iodo, é preciso buscar suplementação.

A maior parte dos suplementos ofertam 100% das necessidades diárias.

Neste caso, é preciso consultar seu médico.

Gestantes também devem buscar orientação de profissionais.

Já fortificar o prato não traz contraindicações.

Neste caso, sirva-se de pescados (haddock, bacalhau e camarões) e algas.

Algas?

Você pode usar a versão desidratada em sopas missô e saladas.

Ovos são bem-vindos, sendo que dois proveem um terço do consumo diário recomendado.

Omeletes são práticas e ótimas opções de refeição rápida.

Que tal uma receita que ainda cuida da sua boa forma?

Confira agora minha receita de meu famoso omelete de claras – clique aqui.

Tags: , , , , ,