Ativismo no prato em cartaz

ativismo-no-prato

Cada vez mais pessoas deixam de comer carne, ao menos com tanta frequência. Por diversos motivos, o veganismo cresce. Mas não precisa apelar. Esta é a crítica a novo documentário, que advoga a escolha e acaba de estrear no Netflix.

Leia mais:

Alimento para o coração – Documentário reúne chefs por boa causa
Uma Panela Entre Nós – Torta de morango light

No Netflix já temos filmes e séries para nunca mais sair de casa.

Mas, para saciar um apetite inesgotável, aumentou a oferta de documentários.

Um dos temas que mais atrai produções é a alimentação.

Entre os últimos lançamentos está What The Health.

O título faz um chiste com a expressão em inglês “what the hell” (algo como “mas que diabo?”, em português).

No trocadilho, mudaram-se as palavras de sonoridade parecida “health” (“saúde”) por “hell” (literalmente, “inferno”).

Pelo nome se antevê o argumento polêmico do documentário.

Exatamente o motivo das críticas que tem gerado.

O trabalho atrai atenção pelo envolvimento do ator Joaquin Phoenix, como co-produtor.

Mas não apenas por isso.

É o exagero dos dados supostamente maquiados que torna tudo tão explosivo.

O questionamento vem de especialistas em nutrição.

Eles acusam a obra de fabricar argumentos para favorecer a escolha vegana.

Em interessante matéria, a revista Time checou as informações veiculadas.

ovos

Documentário relaciona consumo de ovos a câncer: exagero que desinforma

E descobriu verdades e mentiras indigestas.

De acordo com o documentário, comer um ovo por dia é tão ruim quanto fumar cinco cigarros por dia.

O motivo seria o acúmulo de placas nas artérias provocado pelo colesterol.

Além de um exagero, isso está desatualizado.

Como sabemos, o colesterol em ovos não está relacionado ao colesterol encontrado no sangue.

Entretanto, há acertos.

“What The Health” repisa os aspectos pelos quais a dieta ocidental é tão criticada.

Entre eles os antibióticos usados na agricultura, ligados aos casos de resistência a medicamentos.

O trabalho também enfatiza o relacionamento ambíguo entre a indústria e interesses ligados à saúde.

Como o fato de a Associação Americana de Diabetes ser financiada por empresas.

As mesmas responsáveis por produtos cheios de gordura trans, sódio e açúcar escondido, como Kraft, Dannon e Oscar Mayer.

Com isso, pesa a mão ao apontar conflitos de interesse.

Entre eles estão os oficiais.

De olho nos impostos e empregos gerados, o governo americano estaria protegendo as indústrias.

E, com isso, forjando a alimentação de todo um país (e do mundo a reboque).

Resta forjar, agora, a sua própria opinião a respeito.

Para assistir ao documentário – clique aqui.

feijoes

Uma xícara de feijão por dia reduz nível do colesterol LDL: acertos

Veja o trailer a seguir.

Tags: , , , ,