Apetite social

Apetite social

Na mesa natalina, comemos com plateia. Há quem se anime. Até demais. Estudo revela como “comer socialmente” leva a competição inconsciente traduzida em exagero no prato.

Leia mais:

Rotina exemplar – Como era o dia das mentes mais brilhantes
Meu pulo do gato – Perdi 60 quilos ao reinventar meu cotidiano

Já vimos como os amigos podem influenciar em nosso peso – clique aqui.

Agora, um estudo reforça o risco de comer em excesso em situações sociais.

A pesquisa foi feita pela Universidade Cornell (Estados Unidos).

E o fato acontece mesmo quando não há incentivo para fazê-lo.

Estamos todos condenados?

Aparentemente, os homens são os mais atingidos pelo comportamento.

“Inconscientemente, comer mais do que um amigo tende a ser entendido como uma demonstração de virilidade e força”.

A explicação é de um dos autores da pesquisa, Dr. Kevin Kniffin.

No estudo, os pesquisadores realizaram um experimento curioso.

Para ele foram recrutados dois grupos de voluntários.

O primeiro encarou um desafio de comer asas de frango diante de uma torcida.

O segundo participou da mesma competição, mas sem espectadores.

Mesmo com um prêmio irrisório (medalha de plástico), os dois grupos comeram cerca de quatro vezes mais comida do que o normal.

Entretanto, quem comeu na frente da torcida deglutiu 30% mais.

E ainda descreveu a experiência como desafiadora e emocionante.

As mulheres, por outro lado, comeram menos diante dos espectadores.

E descreveram a experiência como ligeiramente embaraçosa.

Portanto, olho no companheiro nestas festas de fim de ano.

Cuidado para não ele “competir” pelo maior prato na ceia.

Quem vai ter que lidar com o resultado, ao menos ao lado nas fotos, é você mesma.

O estudo foi publicado no periódico científico Frontiers in Nutrition.

Tags: , , ,