Afinal, pode ou não pode?

pode-ou-nao-pode

Sempre houve grande polêmica sobre o assunto. Agora, um novo estudo revela que é seguro fritar com azeite. Na verdade, trata-se da melhor opção nesta hora.

Leia mais:

O fim do azeite de oliva – Meio ambiente ameaça futuro da mesa
Dieta viking – A comida pode estimular o organismo a perder peso

Certamente você já ouviu a respeito.

E mesmo quem não entende de cozinha já foi aconselhado a não fritar com azeite.

A confusão vem da ciência.

Estudos comprovaram que fritar qualquer óleo vegetal provoca a liberação de aldeídos.

Tratam-se de compostos químicos que já foram relacionados a doenças do coração e câncer.

No entanto, a generalização tem sido injusta com o azeite de oliva.

É o que aponta pesquisa feita pela Universidade Metropolitana de Cardiff (País de Gales).

“Em geral, fritar não é a maneira mais saudável de preparar a comida”

A explicação é da autora, Dra. Rachel Adams.

“Mas, se você tiver que fritar, o azeite não é uma má escolha”.

Para chegar a esta conclusão, foram testados três óleos vegetais: linhaça, girassol e azeite.

Todos foram aquecidos a 190 graus.

Como resultado, os dois primeiros produziram maiores quantidades de aldeídos.

Enquanto que o óleo de oliva monoinsaturado criou menos aldeídos.

E muito mais tarde no processo de aquecimento.

Manteiga e óleo de pato, quando aquecidos, também produziram menos aldeídos.

A conclusão é que, se for fritar, escolha o azeite.

A opção é mais estável quando é aquecida porque é rica em ácidos graxos saturados e monoinsaturados.

Exatamente o perfil nutricional que o torna uma das estrelas da Dieta Mediterrânea.

Para saber mais sobre este cardápio que emagrece e faz viver mais – clique aqui.

Tags: , , ,