Abaixo a falsa modéstia

falsa-modestia

Pratica a falsa modéstia? Pior pessoa. Estudo revela que usar queixas ou pretensa humildade para gabar-se faz as pessoas gostarem menos de você que uma autopromoção direta.

Leia mais:

Páginas de saúde – Hábito da leitura garante vida mais saudável
Rotina exemplar – Veja o cotidiano das pessoas bem-sucedidas

Sua falsa modéstia não está enganando ninguém.

É o que afirma um estudo feito pela Universidade de Harvard (Estados Unidos).

Dele participou também a Universidade da Carolina do Norte Chapel Hill.

Nela, foram feitos experimentos para determinar o quanto a prática é comum e como os outros a percebem.

Aparentemente, pratica-se a falsa modéstia em todos os lugares.

De 646 pessoas pesquisadas, 70% poderiam se lembrar de alguém próximo agir assim recentemente.

Em seguida, os cientistas estabeleceram que existem dois tipos distintos de falsa modéstia.

O primeiro recai sobre uma queixa (“Odeio parecer tão jovem, até um adolescente deu em cima de mim!”).

Já o segundo tipo se baseia na humildade (“Por que sempre me pedem para trabalhar no job mais importante?”).

Cerca de 60% dos entrevistados disseram ser “vítimas” desta segunda categoria.

Os pesquisadores então investigaram respondemos a esta atitude.

Com um foco particular na aceitação e competência percebidas.

Eles descobriram que a autopromoção regular era melhor aceita em ambos os casos.

Isso porque, pelo menos, foi percebida como genuína.

Mesmo queixosos eram mais agradáveis e pareciam mais competentes que os falsos humildes.

A conclusão é que, se quiser anunciar algo, conte vantagem abertamente.

Pelo menos é possível colher os frutos de ser sincero.

O estudo foi publicado no Journal of Personality and Social Psychology.

Tags: , , , , ,